Atividades extracurriculares fazem história na ABEU. Mais um diferencial do nosso colégio

Por Anderson Guilherme

Mais do que transmitir conhecimento, também é dever da escola formar cidadãos. Junto às disciplinas tradicionais e as ferramentas utilizadas para ensinar é fundamental para o aluno algumas atividades que agreguem à sua formação e que apresentem diferentes cenários que possam despertá-los a outras perspectivas. O esporte, a dança, a leitura, o canto e outras modalidades, quando incentivadas no meio estudantil, podem ser atividades de grande importância para a formação dos alunos. De certa forma, todas elas complementam e são vistas como “extras” pelo que são capazes de proporcionar.

Tendo ciência da importância desse diferencial, a ABEU Colégios trabalha desenvolvendo atividades extracurriculares que complementam a rotina de aprendizagem. Através do vôlei, basquete, capoeira, karatê, dança etc, os alunos se deparam com diferentes atividades que fornecem disciplina e exercício físico.

Giusephe

Giusephe Oliveira Santos da Silva possui uma história na ABEU que confirma a eficácia das atividades extracurriculares. Quando ainda era aluno do quinto ano fundamental, Giusephe tomou conhecimento que na unidade Nilópolis, onde estudava, existia aulas de karatê. Sendo assim, pediu aos pais para que participasse do grupo. Desde então, Giusephe começou a perceber o quanto a modalidade esportiva contribuía com a sua vida pessoal e escolar, “O karatê preza muito pela disciplina. Já vi pessoas que entraram de uma forma e saíram de outra, depois de anos treinando a modalidade. Sempre fui disciplinado, mas o Karatê me ajudou muito nas divisões das tarefas. Aprendi a respeitar cada momento e sua atividade. Horário de estudo era para estudar, de treino era para treinar etc” comentou o jovem de 19 anos.

Além da disciplina, organização e concentração, o Karatê ainda proporcionou a ele algumas premiações nas competições. Com o decorrer dos treinos, a sua desenvoltura evoluiu e, como consequência, trouxe a faixa preta. Dentre os torneios que participou, Giusephe conseguiu o ouro em kata equipe, prata no kata individual e bronze em kumite no Campeonato Brasileiro de Karatê em 2015. Em 2017, o rendimento foi semelhante: ouro em kata equipe e bronze em kumite.

Giusephe era conhecido como um bom aluno na unidade Nilópolis. Para ele, a prática do Karatê trouxe um complemento disciplinar muito forte. Karen Santos, coordenadora de eventos e esportes da ABEU Colégios, foi sua professora de Educação Física e afirma que, como aluno, Giusephe sempre foi exemplar, “O Giusephe sempre foi um aluno de grandes qualidades. O seu desempenho sempre foi muito bom. O Karatê veio para agregar a este histórico. Os professores que já eram satisfeitos com os resultados dele ficaram ainda mais felizes com a sua evolução após o Karatê. Foi perceptível o quanto essa atividade foi excelente para ele”, concluiu a professora.

Por conta do seu rendimento escolar, Giusephe concluiu o ensino médio sendo considerado o melhor aluno da ABEU Colégios daquele ano. Por conta disso, a ABEU o premiou com uma bolsa de estudos em um dos cursos de graduação da Uniabeu. Hoje, ele cursa o 4º período em Análises e Desenvolvimentos de Sistemas na Uniabeu Nova Iguaçu e já faz grandes planos de seguir a carreira sem deixar o karatê, “eu pretendo concluir a minha graduação e logo depois me especializar em desenvolvimento de sistemas, pois é uma área que eu gosto muito. Mesmo com a rotina um pouco mais pesada, não deixo de treinar e de acompanhar o grupo. Sempre que consigo, participo das competições”, explicou o, agora, universitário Giusephe.

O Karatê na ABEU

Fábio com seus alunos

Fábio de Castro Gomes Passos é professor de Karatê e está na ABEU há 10 anos. Ele desenvolve o projeto Karatê como atividade extracurricular nas unidades Nilópolis, Nova Iguaçu e Belford Roxo. Atualmente, o grupo está com aproximadamente 50 alunos. Para Fábio, a modalidade traz grandes benefícios para os participantes, “Eu acredito que a arte marcial é um movimento social e cultural. Quando você traz a influencia de outras culturas, como a japonesa, os alunos ganham ensinamentos como organização e disciplina que colaboram com a formação escolar deles”, comentou Fábio, acrescentando que para o colégio o objetivo principal é formar cidadãos, já a concepção de atleta viria em segundo plano, “meu objetivo não é a competição e sim a qualidade de vida. Nós trazemos valores para formar cidadãos. Competições, medalhas e posições são apenas consequências”, concluiu o professor.

Fábio é atleta de Karatê há 26 anos e como professor preocupa-se em passar as doutrinas do esporte de um modo que o grupo entenda como é importante se exercitar e aprender com culturas diferentes.

As atividades extracurriculares da ABEU Colégios são direcionadas a todos os alunos. Em caso de interesse em algumas das modalidades, basta buscar informações no setor de atendimento das unidades.

Veja alguns momentos de Giusephe no Karatê.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comentários

comentários