Quatro alunas e um professor da Abeu Colégios vão conduzir a Tocha Olímpica na Baixada Fluminense

Abeu é a vencedora do Festival de Escolas na Baixada Fluminense

A Abeu Colégios é a instituição de ensino com maior número de representantes na condução da Tocha Olímpica na Baixada Fluminense. Quatro alunas e um professor estarão na cidade de Nova Iguaçu, em agosto, participando do revezamento do símbolo olímpico. Duas estudantes são moradoras em Nilópolis, uma, em Nova Iguaçu, uma, em Mesquita, e o docente reside em Belford Roxo.

Juliane Aguiar e Alexandra Luparelli

Juliane Aguiar e Alexandra Luparelli

Para viverem o momento histórico, Paula de Sant’Ana, Alexandra Luparelli, Vanessa Pontes e Juliane Aguiar participaram do concurso Festival das Escolas, promovido pela Coca-Cola, em 2015. Elas participaram do concurso e foram selecionadas depois de apresentarem texto, fotos ou vídeo. O professor de Educação Física Guilherme Simões é o quinto condutor da Abeu Colégios por ter ganhado o título de Educador Embaixador da unidade de Nilópolis, considerada a escola da Baixada Fluminense que mais inscreveu trabalhos no Festival.

A estudante Paula de Sant’Ana, 16 anos, diagnosticada desde os três anos com a doença genética atrofia espinhal muscular progressiva, conhecida também pela sigla AME, supera as limitações motoras. Consciente da importância do momento e da sua participação no evento, Sant’Ana afirma que vai conduzir a Tocha Olímpica com a cadeira motorizada.

CI Rio de Janeiro (RJ) 26/01/2016 A estudante Paula Santana que possui uma doença rara degenerativa foi escolhida para conduzi a tocha olimpica que vai passar em Nova Iguaçu . Ela é moradora de Nilopolis e estuda na unidade do Colegio Abeu . Foto Cléber Júnior/ Exra

Paula Sant'ana, 16 anos

“Entendo ser uma oportunidade para mostrar às pessoas que tudo pode ser superado. Eu sempre acompanhei as Olimpíadas. Sonhei com os jogos e conquistei o direito de participar de alguma maneira. Não há limites para o ser humano”, afirma a aluna do 2º ano do ensino médio.

Já a aluna do 2º ano do ensino médio Alexandra Luparelli, 15 anos, diz que nunca imaginou ser selecionada para conduzir um símbolo tão importante como é a Tocha Olímpica. “A certeza de que tudo isso é realidade só vai chegar no momento em que estiver percorrendo os 200 metros com a Tocha”, afirma Luparelli.

Para Juliane Aguiar, 19 anos, cada dia é menos um dia para a chegada do grande momento. Aguiar diz viver a fase da ansiedade. “A expectativa é muito grande, porque conduzir o símbolo dos jogos olímpicos tem um significado especial. Esse momento vai marcar a linha da história da minha vida para sempre”, analisa com a alegria estampada no rosto.

Não é diferente a sensação de Vanessa Pontes, 17 anos. Inclusive, ela revela um sonho de menina. “Quando eu era pequena sonhei com esse momento. Comentei com a minha mãe que chegaria a minha vez de carregar a Tocha Olímpica”, lembra emocionada a jovem que mora desde que nasceu no bairro Cruzeiro do Sul, em Nova Iguaçu.

Vanessa Pontes

Vanessa Pontes, 17 anos

O clima é de pura emoção. O professor Simões, 34 anos, não escapa: “Nunca imaginei ganhar uma oportunidade como essa. Será marcante na minha carreira profissional, ou melhor, na minha vida”, analisa emocionado Simões.

Formado há 11 anos pela Uniabeu e trabalhando há dez na Abeu Colégios, Simões não nega que os 200 metros de percurso em poder da tocha vão mexer com suas estruturas. “Como não imaginar um tremor nas pernas em uma ocasião tão especial?”, questiona. Para ele, os Jogos Olímpicos fazem brilhar os olhos de todos que atuam direta ou indiretamente com o esporte.

Kárem dos Santos e Juliane

Kárem dos Santos e Juliane Aguiar

“A equipe de professores de Educação Física desenvolve um trabalho de excelência e os resultados surgem. A Abeu Colégios é a vencedora do Festival das Escolas na Baixada Fluminense, com quatro alunas e um professor na condução da tocha. Todos merecem aplausos”, comemora a coordenadora de Esportes da Abeu Colégios, Kárem dos Santos Ferreira.

Reportagem: Fernando Fraga

Fotos: Gabriela Mineiro e Rodolfo Walter

Comentários

comentários